SIMPÓSIOS TEMÁTICOS 

ST 01 - A SALA DE AULA EM PERSPECTIVA: TEMÁTICAS, PRÁTICAS, VIVÊNCIAS E EXPERIÊNCIAS DO ENSINO DE HISTÓRIA NA EDUCAÇÃO BÁSICA

Prof. Me. Paulo de Oliveira Nascimento

Prof. Emerson Barbosa da Silva Aleixo

O objetivo do Simpósio Temático é propor espaço de reflexão sobre o Ensino de História na Educação Básica. Pretendemos reunir professorxs/pesquisadorxs que atuam na Educação Básica com temáticas, práticas e vivências produtoras de experiências significativas em sala de aula. Sabemos que o Ensino de História constitui-se enquanto um espaço de popularização do Saber Histórico, mas também é um espaço de produção de saberes, especialmente a partir do trabalho de professorxs que incentivam os alunos e alunas a (re)construir interpretações do passado, fazendo-os se perceberem enquanto partícipes da História. Desse modo, neste ST serão aceitos trabalhos que coloquem em diálogo a) metodologias (aulas expositivo-dialogadas, rodas de conversa, produção de materiais em vídeo, áudio), b) temáticas (relações etnorraciais, gênero, meio ambiente), c) recursos didáticos (filmes, aulas de campo, acervos documentais, museus) e d) fontes históricas (jornais, pinturas, fotografias, monumentos, memórias).

Justificativa: O objetivo do Simpósio Temático é propor espaço de reflexão sobre o Ensino de História na Educação Básica. Pretendemos reunir professorxs/pesquisadorxs que atuam na Educação Básica com temáticas, práticas e vivências produtoras de experiências significativas em sala de aula. Sabemos que o Ensino de História constitui-se enquanto um espaço de popularização do Saber Histórico, mas também é um espaço de produção de saberes, especialmente a partir do trabalho de professorxs que incentivam os alunos e alunas a (re)construir interpretações do passado, fazendo-os se perceberem enquanto partícipes da História. Desse modo, neste ST serão aceitos trabalhos que coloquem em diálogo a) metodologias (aulas expositivo-dialogadas, rodas de conversa, produção de materiais em vídeo, áudio), b) temáticas (relações etnorraciais, gênero, meio ambiente), c) recursos didáticos (filmes, aulas de campo, acervos documentais, museus) e d) fontes históricas (jornais, pinturas, fotografias, monumentos, memórias).

ST 02 - HISTÓRIA, LITERATURA E BIOGRAFIA

Prof. Me. Bruno Rafael de Albuquerque Gaudêncio

Prof. Me. Robson Victor da Silva Araújo

A historiografia brasileira nas últimas décadas vem avançando consideravelmente na reflexão de objetos históricos que se relacionam no universo das subjetividades, sensibilidades, práticas e representações do mundo social, enfocando autores e obras. Desta forma, o objetivo deste simpósio temático é reunir comunicações que debatam temas que enfatizam a relação história e literatura e história e biografia, discutindo questões relacionadas a narrativas, em diferentes perspectivas teórica e metodológica, a exemplo da Nova História Cultural e História Social.

Justificativa: O Simpósio Temático visa receber propostas de pesquisas que trabalham com a relação da História, Literatura e Biografia, na medida em que essas três áreas estão em constante aproximação. A elaboração de pesquisas e investigações que se preocupam com o debate sobre a possibilidade da utilização da literatura e da biografia enquanto objeto de compreensão de eventos históricos, e da própria História em si - guardadas às devidas proporções inerentes a cada campo de estudo -, deve-se à ideia de que as relações entre literatura e biografia constituem um campo de investigação expressivo no âmbito da Historia Cultural. Assim, o historiador que passa a ter a sua disposição uma multiplicidade de novas fontes, novos objetos, se depara, também, com a ideia de como utilizá-las na escrita da história. Destarte, trabalhar com fontes literárias e/ou biográficas, aprendendo a estabelecer certas relações entre a produção destas e a realidade histórico-social em que estão inseridas, se converte em expediente fundamental para ampliar o arsenal de métodos de interação disponíveis ao historiador no seu campo de ação.

ST 03 - MODERNIZAÇÃO E PROCESSOS DE HIGIENIZAÇÃO SOCIAL NOS ESPAÇOS SERTANEJOS

       Prof. Me. Felipe Aires Ramos

Profa. Rosenilda Ramalho

A emergência do regime republicano no Brasil demarca o período de fortalecimento dos discursos de modernização e progresso. Discursos estes que, existentes desde o século XIX, ganham concretude e, mais que isso, se transformam em política de Estado ao longo da primeira metade do século XX. É em nome de tais discursos que se operam as grandes reformas urbanas, as campanhas de vacinação, o combate aos costumes considerados arcaicos e/ou deslocamento dos sujeitos marginalizados dos centros urbanos. Também é produto dessas transformações um amplo e duradouro processo de segregação/higienização social.
Neste sentido, pretendemos reunir no presente simpósio trabalhos que investiguem as variadas maneiras de como esse processo de modernização se efetivou nos espaços sertanejos ao longo do século XX. Medicina, reformas e melhoramentos urbanísticos, literatura, representações sobre costumes, instituições, processos de repressão a práticas populares (prostituição, curandeirismo) fazem parte, entre muitos outros temas, do que pretendemos discutir.

Justificativa: Compreendemos que o processo de modernização que se opera nos espaços sertanejos – sobretudo nordestinos - ao longo do século XX difere fundamentalmente do que ocorre nos maiores centros urbanos do país. Seja pela inexistência de instituições, órgãos e sujeitos que nestas maiores cidades eram justamente os responsáveis pelas ações modernizantes, seja pela predominância do aspecto rural. O “Moderno” nos espaços sertanejos se construirá através de outros caminhos, de outras apropriações culturais, principalmente pelas elites políticas, que lhe dão uma significação própria, como processo ao mesmo tempo abrangente e singular a este recorte espacial. Nos interessa estudar as brechas das cidades sertanejas, e perceber os percursos dentro desse contexto de perdas e ganhos para os habitantes da cidade, pela escolha e rejeição dos novos significativos gestados pela modernidade.

ST 04 - TRABALHO, CULTURA E CONFLITOS SOCIAIS NO BRASIL

          Prof. Me. Diego Cavalcanti Araújo

          Profa. Me. Amanda Guimarães Sousa

O ST "Trabalho, Cultura e Conflitos sociais no Brasil" tem como objetivo promover o debate de pesquisas concluídas ou em andamento que tratem a questão do mundo do trabalho no Brasil, dos séculos XVIII ao XX. Serão privilegiadas as discussões que articulem a agência e experiência de trabalhadores, livres ou escravizados, em seus ambientes de trabalho, habitação e lazer, sejam em cenários urbanos ou sertanejos. Destacam-se também as práticas de convívio social, na criação de espaços de sociabilidade e na cultura popular, perceptíveis através da produção literária e intelectual, da literatura de cordel, nas formações de zonas de contato interétnico, festividades, manifestações de religiosidade popular e tradições orais. O fenômeno migratório, diretamente ligado à experiência de mulheres, homens e crianças cearenses, também é foco das discussões desenvolvidas, sejam os deslocamentos compulsórios relacionados ao tráfico interprovincial ou atlântico, as constantes políticas migratórias acionadas nos períodos de secas e as expectativas criadas pelo extrativismo, expansão de áreas agrícolas ou industriais em outras regiões.

Justificativa: A proposta deste ST justifica-se por proporcionar trocas de experiências e reflexões teórico-metodológicas em vistas de compreender como cada pesquisa articula as categorias chave: trabalho, resistências, cotidiano, pobreza, dentre outros em diálogo com as mais diversas fontes históricas. Nesse sentido, destacamos a importância do ST no sentido de ter como preocupação central refletir sobre como estabelecer relação em nosso repertório analítico com perspectivas que pensem a agência dos sujeitos marginalizados e sua experiência de vida como elemento de existência; ou seja, não apenas situa-lo em dinâmicas de resistência ou submissão, mas pensa-lo na complexidade da vida e dos horizontes possíveis de ação e de escolhas que são fundamentalmente históricas. A partir disso, ressalta-se que este ST tenha como público principal os pesquisadores que estão iniciando pesquisas que se debrucem sobre a agência e experiência de trabalhadores, livres ou escravizados, em seus ambientes de trabalho, habitação e lazer, sejam em cenários urbanos ou sertanejos.

ST 05 - MULTINARRATIVAS E OS BRASIS NO ENSINO DE HISTÓRIA

           Profa. Dra. Ana Paula Cruz

           Profa. Me. Eliana de Souza Rolim

Os lugares de construção do saber histórico, hoje, podem ser pensados para além da sala de aula, ultrapassando seus limites físicos, tendo em vista que a História perpassa a dinâmica da vida dos sujeitos construtores de uma escrita sobre o passado, distante ou recente. Portanto, o espaço do ensino de história pode ser amplamente produtivo para construção de novas formas de ver o passado/presente, a partir das concepções e experiências dos sujeitos nele envolvidos, isto é, professores e estudantes, inclusive dentro de uma perspectiva interdisciplinar. Nesse sentido, o presente simpósio vem propor um espaço de comunicação de pesquisas desenvolvidas a partir de estudos historiográficos empreendidos nos diferentes níveis de formação (ensino básico, técnico e superior), destacando a produção de novas histórias, que incluem o emergir de múltiplas interpretações em torno de sujeitos históricos, práticas, lugares e conhecimentos tecidos no tempo e em diferentes territórios dos Brasis.

Justificativa: Os lugares de construção do saber histórico, hoje podem ser pensados para além da sala de aula, tendo em vista que a História perpassa a dinâmica da vida dos sujeitos produtores desses espaços de saber, professores e estudantes. Assim, este simpósio tem o intuito de captar a comunicação e promover a reflexão de pesquisas desenvolvidas a partir de estudos historiográficos empreendidos nos diferentes níveis de formação (ensino básico, técnico e superior), destacando e estimulando a produção de novas histórias sobre os Brasis, dos litorais aos sertões.

ST 06 - HISTÓRIA, SENSIBILIDADES E PRÁTICAS EDUCATIVAS

Prof. Dr. Azemar dos Santos Soares Júnior

Prof. Rafael Nóbrega Araújo

Esse Simpósio Temático tem por objetivo reunir trabalhos que abordem pesquisas desenvolvidas no campo da História Cultural, portanto, temáticas relacionadas aos estudos historiográficos das subjetividades e sensibilidades, da educação, da história da saúde e das doenças, dentre outros. Trata-se de enfatizar o papel da História Cultural e suas diversas possibilidades de temas na produção historiográfica contemporânea analisando a constituição histórica da cultura pelas quais os sujeitos vivem e se instituem enquanto indivíduos. A ênfase na compreensão histórica dos afetos, tais como a escrita da história do medo, do amor, do ódio, da saudade, do riso, da dor, do sonho, da corporeidade, da educação, da música, da saúde e das doenças etc. permitirá, também, a análise da emergência de novos olhares e operacionalidades sobre o tempo e o saber histórico. Serão aceitos trabalhos que intencionem divulgar pesquisas em torno destas temáticas propostas, bem como, textos que analisem a própria produção historiográfica timbradas nas águas da História Cultural destacando as possibilidades de existência de uma escrita da história sobre as experiências e práticas sociais e culturais na constituição das maneiras de ser e viver.

Justificativa: Com o crescimento de pesquisas no campo da História Cultural, das Sensibilidades e das Práticas Educativas, achamos importante reunir num grupo de diálogo pesquisadores que atuem decisivamente partilhando seus trabalhos. Assim, essa proposta se justifica em decorrência da necessidade de realizarmos a partilha desses saberes, desses afetos, dessas práticas cotidianas produzidas Brasil afora.

ST 07 - HISTÓRIA DA JUSTIÇA: FONTES E ABORDAGENS RECENTES

Profa. Dra. Jeannie da Silva Menezes

Prof. Me. Yan Bezerra de Morais

Este simpósio pretende debater sobre um campo da história que vem ganhando espaço nas produções acadêmicas, a justiça. Tal temática merece reflexão histórica de modo a compreender como a justiça e o direito tem sido (re) elaborados e pensados no mundo ocidental, sobretudo nos momentos em que as “tradições” registradas no presente são colocadas em suspeição e sua práxis ganha outros contornos e novas teorizações que evocam o passado. O simpósio propõe-se também a discutir as formas de praticar a justiça e suas implicações sociais e políticas, uma vez que o estudo sobre as concepções do justo vai além do plano abstrato das doutrinas, mas funda-se na experiência histórica concreta. Dessa forma, novas fontes e abordagens têm sido levantadas em meio a essas reflexões que buscam reconstituir os percursos de uma História da Justiça. Nesse sentido, este simpósio interessa-se por acolher trabalhos que privilegiem discussões acerca do espaço – social e institucional – dos usos da justiça na trajetória histórica do Brasil de ontem e de hoje.

Justificativa: Como exposto no resumo da proposta, a justiça tem se tornado tema de discussão presente e urgente no meio acadêmico. Acreditamos que isso tem relação direta com acontecimentos recentes da história do Brasil, evidenciados pelos meios de comunicação e amplamente discutidos por meio das mídias sociais. Esses fenômenos, por conta de sua visibilidade social, têm influenciado produções acadêmicas que buscam compreender os usos e a prática da justiça na trajetória histórica do Brasil, e, portanto, tal temática requer discussão e aprofundamento em eventos científicos que buscam compreender o Brasil de ontem e de hoje numa perspectiva histórica, como a presente XI SNH/CFP.
 

ST 08 - PROGRAMAS DE FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DE HISTÓRIA: LIMITES E POSSIBILIDADES

Prof. Dr. Israel Soares de Sousa

A política educacional no Brasil vem apresentando variações nas últimas décadas e, mais recentemente, sofrendo cortes de investimento que podem resultar diretamente na qualidade de formação dos alunos de licenciaturas. Nesse contexto, o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) e o Programa de Residência Pedagógica (RP) apresentam-se como resistência ao processo de desmonte educacional do país, ampliando os espaços de formação inicial para além da universidade e dos estágios supervisionados obrigatórios. Para pensar essa realidade, a presente proposta de Simpósio Temático tem como objetivo discutir pesquisas e socializar experiências vivenciadas a partir da participação nesses programas de formação inicial para professores de História, apontando limitações e possibilidades para o PIBID e RP com o intuito de pensar um ensino que abarque as diversidades dos Brasis a partir de uma formação inicial mais ampla e democrática.

Justificativa: A presente proposta se justifica pela necessidade de discussão dos processos formativos dos professores de História frente à realidade e sua diversidade e do entendimento da disciplina como um campo de conhecimento essencial para o descortinar do contexto e suas contradições. O Brasil em sua diversidade carece de um ensino de História que rompa com a ideia de memorização de datas e heróis nacionais, passando também a considerar os contextos locais como importantes para os processos de transformações e permanências históricas. Assim, consideramos importante possibilitar um espaço de diálogo que permita discutir o processo de formação inicial de professores de História e suas relações com o PIBID e com a RP.

ST 09 - HISTÓRIA POLÍTICA NO BRASIL REPUBLICANO: PODER LOCAL, PARTIDOS POLÍTICOS, TRAJETÓRIAS E PARTICIPAÇÃO POLÍTICA

Profa. Carla Schayane Costa Silva

Profa. Dêis Maria Lima Cunha Silva

 

Este Simpósio Temático busca reunir trabalhos e análises sobre a História Política do Brasil Republicano a partir das esferas nacional, regional ou local. Pretendemos criar um espaço para historiadores e outros pesquisadores das Ciências Humanas apresentarem seus trabalhos, projetos ou atividades que discutam o campo político e seus principais aspectos. Desde o momento de instauração da República no final do século XIX, o país experimentou momentos distintos no que se refere à vida política, permutando sempre entre autoritarismo e democracia. Nesse sentido, inserem-se na nossa proposta trabalhos cujos temas tratem de regimes políticos, organizações partidárias, instituições, processos eleitorais, trajetórias, participação política, movimento político, ditaduras e/ou redemocratizações. Com essas discussões, pretendemos colaborar com a construção do conhecimento dentro do campo da História Política do Brasil Republicano.

 

JustificativaOs avanços historiográficos do século XX fizeram com que o político fosse visto a partir de uma nova perspectiva, o que possibilitou a renovação do campo da História Política. O poder, que antes era associado apenas ao chefe e ao líder, passou a ser visto como diluído entre as diversas camadas da sociedade e trouxe à baila a dimensão subjetiva que os atores políticos conferiam à sua própria ação. Nesse sentido, observamos que há inúmeras possibilidades de se trabalhar com o político, dada a diversidade de fontes e perspectivas que podem ser adotadas, a depender do problema investigado pelo pesquisador. Sendo assim, submetemos essa proposta de Simpósio Temático com o objetivo de criar um espaço de discussão para questões que tratem do político no Brasil republicano a partir de perspectivas diversas. Acreditamos na necessidade de discussões de temáticas inseridas neste campo, dada a importância do político no processo histórico. Além disso, a fragilidade do estado democrático de direito no Brasil faz com que a política seja sempre uma pauta atual, o que salienta a necessidade de discuti-la, repensá-la e entendê-la dentro da perspectiva histórica.

ST 10 - HISTÓRIA DA SAÚDE E DAS PRÁTICAS MÉDICAS

Profa. Dra. Helmara Giccelli Formiga Wanderley

Prof. Dr. Luan Gomes

O Simpósio Temático tem o objetivo de promover a interlocução entre pesquisadores da História e das ciências de fronteira, tais como Antropologia, Sociologia, Geografia, Psicologia, Serviço Social e pesquisadores em geral, interessados nas investigações sobre as práticas e representações da saúde e doença no Brasil em diversos espaços e temporalidades. Nesse sentido, entendendo que as práticas de saúde e doença são temas importantes para a compreensão das sociedades em geral, tais práticas são analisadas a partir das redes de relações que se estabelecem entre os sujeitos envolvidos no processo adoecimento-cura, as instituições médicas e não-médicas e as construções sócio-culturais sobre saúde-doença, adoecimento-cura.
 

Justificativa: A relevância do ST deve-se ao crescente interesse de pesquisadores das diversas áreas de conhecimento pela temática, o que abre o leque de discussões acerca dos processos de adoecimento-cura para além dos saberes médicos, possibilitando conhecer e tornar conhecidas as experiências sensíveis e narrativas dos sujeitos envolvidos nas práticas de saúde e doença.

[CANCELADO] ST 11 - HISTÓRIA AGRÁRIA NO BRASIL DE ONTEM E DE HOJE

Prof. Venâncio Sousa de Oliveira

Profa. Carolina Rodrigues Moreira

Este Simpósio pretende ser um espaço de diálogo entre pesquisadores interessados nas discussões em torno da questão agrária no Brasil de ontem e de hoje.Os estudos sobre o campesinato têm ganhado espaço na historiografia brasileira,germinando em grupos de estudos e pós-graduações.Essas preocupações crescem pela busca de uma história que tenta entender as várias dimensões do campo,em especial,os sujeitos que pertencem a esse espaço conflituoso e plural.Dito isso,procuram-se pesquisas com foco em analisar e investigar a realidade rural em seus vários âmbitos:cultural,econômico,nas relações de propriedade e trabalho.O campo aqui é visto como um local de territorialização de várias lógicas,desde as modificações do espaço por políticas impelidas pelo Estado e suas instituições,assim como os modos de vida campesinos.Nesse sentido,as várias formas de resistência,as migrações e memórias camponesas são temas a serem discutidos,tendo em vista as mais diversas abordagens da historiografia.

JustificativaEstamos em um momento em que o capital internacional, em uma de suas várias crises, se expande extensivamente e intensivamente pelo campo, buscando espaços de reprodução e bases políticas para sua legitimação. Na presente conjuntura política brasileira, pastas importantes como a de desenvolvimento agrário e agricultura familiar foram colocadas a cargos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), gabinete que fica nas mãos do setor ruralista, coordenado por latifundiários e chefes do agronegócio. Esse movimento vai deixando a margem pautas importantes como a reforma agrária, agroecologia, e a luta por soberania alimentar dos povos campesinos, ferindo cada vez mais os direitos dos sujeitos que tem o campo como local de morada e reprodução social. Como mestrandos(as) de história social, entendemos que a nossa luta deve ser feita também pelo espaço da produção científica, e a historiografia, como um campo preocupado com as questões presentes, deve ser um espaço necessário para a discussão sobre questão agrária no Brasil de ontem e de hoje. Este simpósio deve ser pensado nesse sentindo, como um local para a troca de experiências de estudantes e pesquisadores que se proponham a discutir a história agrária, tendo em vista as várias formas de disputas e comunicação ativa do conhecimento, como as universidades, encontros, sala de aula e plataformas digitais.